CARTA AO LEITOR: PORQUE SOMOS PLURAL


Foram precisos três anos de vergonha na cara, um caminhão de paciência e uma pitada de fracassos sucessivos para entendermos que o que precisava ser feito era apenas nadar contra a corrente, nos permitirmos a mudanças. E assim fizemos.


Você pode achar que está sonhando - e, de fato, até mesmo nós achamos isso - mas o fato é que um dos nossos maiores desejos finalmente acabou tornando-se realidade. Claro, foi preciso batalhar muito, e as vezes até dar com a cabeça na parede, mas finalmente conseguimos arrumar a casa - depois de uma reforma de mais de três anos - para finalmente entregarmos um produto final totalmente diferente da proposta inicial pensada em abril de 2012!

Em meados de 2010 (sempre quis usar a palavra meados), o Electric Chapel - ainda Gaga News - lançava-se ao mundo com uma bagagem de experiência zero no quesito experiência virtual, mas com sede por novas descobertas e aventuras (e nem pretendíamos ser um filme da Sessão da Tarde). Em pouco tempo os resultados começaram a aparecer, e como num piscar de olhos, estávamos alcançando uma demanda sequer sonhada - e olha que nem chegávamos aos pés dos grandões da época (nunca chegamos, na verdade). A premissa era simples: ser fã e fazer para fã.

O tempo foi passando, e com ele as responsabilidades foram aparecendo, exigindo um nível de aperfeiçoamento e profissionalismo cada vez maiores da nossa corajosa-equipe-de-uma-pessoa-só. E, claro, curiosos que éramos (ou era - não consigo parar de falar no plural), passamos por muitas fases de experimentos até chegarmos num resultado minimamente aceitável para enfim decolar! O ano era 2011, e assim como toda a era do "Born This Way" resolvemos que iríamos renovar nossa imagem, desafiando ainda mais nossa capacidade. Mudamos tudo e em maio entrava no ar um espaço totalmente diferente, mais dinâmico, fluido, e bem 'dark'.

Os meses foram passando e cada vez mais buscávamos alternativas para nos adaptarmos ao fluxo de demanda cada vez mais ascendentes. A equipe cresceu e quando estávamos prestes a completar 1 ano no ar tínhamos cerca de cinco pessoas trabalhando quase que 24 horas por dia para trazer conteúdo e novidade para os leitores cada vez mais exigentes. O amadorismo de outrora há muito havia sido deixado para trás, e o que se via agora era uma semi-equipe de quase profissionais no ramo das aventuras-de-fazer-fã-sites. À época, presenciávamos um fenômeno de "boom" de fã-sites, e criar métodos inovadores tornou-se cada vez mais um grande desafio, tendo em vista o vasto catalogo de páginas que se propunham a fazer o mesmo que nós fazíamos.

Foi no ano seguinte que decidimos largar tudo avançar para um novo patamar. Queríamos mais. Queríamos tentar algo maior. Fechamos a casa e o resto da história você conhece: entre anúncios de novidades e promessas, seguiram-se três anos de inúmeras tentativas de voltar ao ar - todas fracassadas. O que estaria dando errado? Teria sido uma decisão precipitada mudar de repente? Aquelas sucessões de fracassos apenas significavam que o fim havia finalmente chegado? Nós, e talvez até mesmo vocês, acreditávamos que sim. Mas estávamos redondamente, quadradamente e triangularmente enganados.

O tempo serviu para nos mostrar que seguíamos na direção mais óbvia, e, porque não dizer, a mais errada delas. Estávamos perseguindo um caminho já preenchido satisfatoriamente por outras pessoas, e lançar-se nessa autoestrada seria como pegar a via expressa de uma megacidade e acabar presos em um engarrafamento eterno de "mais do mesmo". Queríamos seguir por um caminho que muitos já tinham explorado, e no fim, acabaríamos sendo só mais um site com um layout bonitinho e um conteúdo repetitivo. Essa longa pausa que demos serviu para nos mostrar um caminho novo que sempre esteve ali mas nunca nos atentamos a ele. Um seguimento diferente e muito mais plural. Isso! PLURAL. Essa é a palavra!

Plural no sentido de que, para nós, um fã-site não deve se deter apenas em promover sua cantora para um público específico; esse papel já é cumprido financeiramente bem por empresários e gravadoras. Nosso papel é entreter e debater, não só o que se refere à nossa cantora, mas sim ao mundo que a engloba e do qual fazemos parte também.

Portanto, a partir de agora, você estará em um espaço onde poderá encontrar assuntos multilaterais. Vamos debater política, música, arte, atualidades e tudo o que está diretamente ligado a nossas vidas.  Isso não significa que deixaremos de falar sobre Lady Gaga, muito pelo contrário! Ela será nosso tema central, que servirá de mote para diversos outros assuntos que circundam esse universo da música pop (ou da música "artpopista", seja lá o que isso signifique!). Ao invés de um espaço puramente informativo, você encontrará um espaço aberto a opiniões, debates, informações, tudo num formato mais interativo e descontraído. Não temos que agir como se bancada de telejornal fôssemos. Queremos estar mais próximo de você que acessa esse site, e nada melhor do que falar de uma forma acessível e divertida, que possa unir todos os assuntos do nosso cotidiano sem que se torne banalizante ou "politicamente correta" (a saber, formalizada demais, didática demais, fechada a uma visão)

Afinal, vivemos em um mundo multilateral, onde há espaço para que tudo possa ser dito e propagado em uma velocidade cada vez mais plástica, efêmera e dinâmica. Moda, música, arte, política, saúde, comportamento, entretenimento e debates... tudo estará aqui. Porque primamos pelo etcetera. Porque somos plural.

Nenhum comentário:

Postar um comentário