"ELE É EXTREMAMENTE IMPORTANTE NA MINHA VIDA", DIZ GAGA SOBRE TONY BENNETT


Cheek to Cheek deixou sua marca. Com menos de um mês para encerrar os trabalhos com o álbum de jazz que já é considerado um dos mais bem sucedidos do segmento nos últimos anos, Lady Gaga e Tony Bennett estampam a nova edição da Ravinia Magazine, disponibilizada gratuitamente para o público do Ravinia Festival - o mais antigo festival de jazz dos Estados Unidos. Na edição, os duo concedeu uma entrevista super bacana onde fazem reflexões sobre o sucesso do álbum e a importância da colaboração musical para os dois.


Confira alguns trechos da entrevista feita por Andy Argyrakis:

Tony Bennet sobre como conheceu Gaga:

Eu nunca tinha ouvido falar sobre seu trabalho, então depois que eu terminei minha apresentação fui ver o que ela estava fazendo. Ela tinha uma multidão e eu não conseguia parar de pensar no quanto o público a amava. A reação foi tão fenomenal, eu pensei, 'eu tenho que ir aos bastidores para dar um oi'. Assim, no final do seu show, eu fui aos bastidores e seus pais estavam lá. Quando ela saiu e eu disse 'eu sou Tony Bennett', ela disse 'OMG!' Ela estava tão emocionada por eu estar ali, então eu disse 'você foi impressionante! Eu nunca tinha visto o público amar alguém assim como eles te amam'. E ela disse, 'eu faria qualquer coisa para poder cantar com você' e eu disse, 'vamos fazer um álbum juntos'. Então, ela disse 'ótimo, vamos fazê-lo'".

Gaga sobre o poder do jazz:

Essas são canções de sucesso e é isso o que acontece: são os verdadeiros hits americanos, e você apenas reza e espera que sua música vai durar assim como os clássicos. Essas músicas são capazes de transcender a era em que foram criadas e viajar pelo tempo em direção ao futuro e adquirir vida própria com novas experiências e novas pessoas. Eu acho esse tipo de música extremamente poderosa; foi criada durante um momento emocionante e resistiu ao teste do tempo. O jazz surgiu a partir do sofrimento e da fúria dos povo afro-americano enquanto eles lutavam pela igualdade. Tony é um grande defensor do movimento dos direitos civis, e foi uma figura muito importante durante esse período. O que é legal considerar quando estamos nos apresentando no Ravinia é que não existe história tão forte quanto essa, não apenas no repertório, mas no próprio Tony. Há algo extremamente poderoso e autêntico, e a mensagem é muito, muito forte ainda".

Lady Gaga sobre o show:

É um show muito legal, 100% focado na música e no relacionamento entre mim e Tony e nosso crescimento juntos, como amigos. Acredito que vai ser um show fantástico e as pessoas em Ravinia vão realmente apreciá-lo. Sempre estou animada para me conectar com todas as pessoas que passamos a conhecer nessas diferentes comunidades quando viajamos e chegamos para tocar esses clássicos. É uma experiência emocionante; sempre novo e sempre mágico. Vê-los brilharem enquanto assistem ao Tony também me deixa muito animada. Mais do que tudo, eu espero que eles vejam a troca de amor genuína entre Tony e eu. Acredito que seja extremamente raro na indústria atual existir essa verdadeira e autêntica colaboração. Tony e eu adoramos um ao outro e adoramos música".

Gaga sobre o sucesso de Cheek to Cheek:

É sempre emocionante vender discos, especialmente um álbum que preenche uma lacuna de sessenta anos entre seus parceiros, e eu acho que essa música toca quase todo mundo. Tony e eu estamos apenas reverenciando os compositores e mantendo esta maravilhosa música viva. Eu reverencio Tony em honra aos anos e anos de dedicação que ele teve com essas canções. Você deve lembrar que Tony estava fazendo jazz justo quando o rock'n'roll foi inventado, e logo que estourou, o jazz e sua relação com o público mudaram por causa do rádio. É muito similar com as coisas que eu lido hoje, com as mudanças do pop no dia a dia. Tony teve a mesma experiência, então eu gosto de pensar que é extremamente importante que eu mostre para o mundo e para os meus fãs, tanto quanto possível, o significado de ter um coração leal e dedicado ao seu ofício, não estar nele pelo dinheiro ou pela fama, mas para mostrar-lhes o que é viver uma vida dedicada à arte e à beleza, que é Tony Bennett. Ele realmente é um homem incrível e espero que a minha fã-base passe a entender o poder da paixão que esse homem tem mostrado. E eu espero que seus fãs vejam que a minha geração é capaz de conceber esse espírito trabalhador, essa ambição e essa paixão por celebrar isso.

Tony Bennett sobre trabalhar com Lady Gaga:

Quando eles a ouviram cantar, disseram que ela é uma grande cantora de jazz! O jeito que ela canta nunca vai soar antiquado! Ela é uma grande e espontânea cantora, e toca jazz muito bem ao piano. Ela teve uma boa escolaridade e sabe o que está fazendo. Ela estava tocando apenas para os pequenos 'teeny boppers' [expressão para adolescentes superficiais que costumam ouvir música pop genérica]. Mas o que eu amo é quando [eles pegaram o álbum que eu fiz com ela] esses pequenos 'teeny boppers' nunca tinham ouvido música swing antes em suas vidas. Esses padrões nunca envelhecem, só ficam melhores a cada ano! Agora, trabalhar com Lady Gaga é duas vezes melhor quanto antes. Ela tem seu público, eu tenho o meu, e juntos, temos todo mundo. Não é sobre o novo ou o antigo; é resgatar o público família de todas as idades".

Lady Gaga sobre trabalhar com Tony Bennett:

Tony me ensinou muita coisa. Eu gosto de pessoas que gostam de aprofundar-se rapidamente; eu não gostaria de estar sentada ao redor da superfície por muito tempo com ninguém. Tony é igualzinho a mim; ele vai direto para uma conversa mais emocional sobre as coisas da vida. Ele está interessado em tocar a vida das pessoas, assim como eu. Ele já passou por tanta coisa. Ele compartilhou tantas histórias de vida incríveis comigo - histórias incríveis como sua amizade com Duke Ellington - e eu estou extremamente honrada. Trabalhando com Tony,  tenho percebido o quão jovem ainda sou e o quanto tenho pela frente ainda. Estava cansada do negócio [da música], mas ele realmente ajudou a me curar com esta música, porque instantaneamente eu estava desperta com meus 14 anos, cantando essas músicas, e me lembrei o porque entrei nisso - para começar. Ninguém pode te ensinar a cantar jazz - você sabe ou não. E eu vou te dizer, se eu não soubesse cantar jazz ele com certeza não estaria cantando comigo. Eu tenho muito o que reverenciar Tony, ele é extremamente importante na minha vida".

Nenhum comentário:

Postar um comentário